Google+ Followers

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Pragmática


O TEXTO

O texto será bem compreendido quando avaliado sob três aspectos:
I - pragmático: atuação informacional e comunicativa;
II - semântico-conceitual: coerência;
III - formal: coesão.

PRAGMÁTICA

Pragmática é o ramo da linguística que estuda a linguagem no contexto de seu uso na comunicação. As palavras, em sua significação comum, assumem muitas vezes outros significados distintos no uso da língua e, mais recentemente, o campo de estudo da pragmática passou a englobar o estudo da linguagem comum e o uso concreto da linguagem, enquanto a semântica e a sintaxe constituem a construção teórica. A pragmática, portanto, estuda os significados linguísticos determinados não exclusivamente pela semântica proposicional ou frásica, mas aqueles que se deduzem a partir de um contexto extralinguístico: discursivo, situacional, etc.

A capacidade de compreender a intenção do locutor é chamada de competência pragmática. A pragmática está além da construção da frase, estudado na sintaxe, ou do seu significado, estudado pela semântica. A pragmática estuda essencialmente os objetivos da comunicação. Como exemplo, suponha uma pessoa queira fazer uma segunda pessoa não fumar numa sala. Pode simplesmente dizer, de uma forma muito direta: "Pode deixar de fumar, por favor?". Ou, em alternativa, pode dizer: "Huumm, esta sala precisa de um purificador de ar". Repare que a palavra 'fumo' ou 'fumar' não é utilizada, mas indiretamente revela a intenção do locutor.

OS FATORES LINGUÍSTICOS

COERÊNCIA: Um texto para ser coerente depende do conhecimento da língua e de mundo e do grau de compartilhamento desse conhecimento entre produtor e receptor. Se o receptor de um texto não conhecer bem a língua que lhe deu forma, bem como a realidade de que ele fala, com toda certeza irá classificá-lo como incoerente. A coerência textual depende também das inferências, da intertextualidade, dos fatores pragmáticos e interacionais (tipos de atos de fala na interação, contexto de situação, intenção comunicativa).
COESÃO: A coesão é responsável pela ligação dos sentidos isolados para evidenciar a estruturação da sequência superficial do texto, não perdendo de vista o todo e a intenção com que se produz esse todo, para constituir finalmente um texto. Os mecanismos para a coesão de um texto podem ser o uso adequado dos operadores argumentativos, do léxico através da reiteração (repetição do mesmo item lexical: sinônimos, nomes genéricos etc.) e da colocação (uso de termos pertencentes a um mesmo campo significativo).

OS FATORES PRAGMÁTICOS DA TEXTUALIDADE

INTENCIONALIDADE: revela o esforço feito pelo produtor para estabelecer um discurso coerente e coeso a fim de cumprir o seu objetivo comunicativo em função do receptor.
ACEITABILIDADE: é inerente ao receptor, que analisa e avalia o grau de coerência, coesão, utilidade e relevância do texto capaz de levá-lo a alargar os seus conhecimentos ou de aceitar a intenção do produtor.
SITUACIONALIDADE: é responsável pela adequação do texto ao contexto sociocomunicativo.
INFORMATIVIDADE: responde pela suficiência de dados no texto, como também pelo grau de previsibilidade nas ocorrências no plano conceitual e no formal.
INTERTEXTUALIDADE: mostra a interdependência dos textos entre si, tendo em vista que um texto só faz sentido quando é entendido em relação a outro texto.

FATORES PRAGMÁTICOS:  Tipos de fala, contexto de situação, intenção comunicativa, características e crenças do produtor e receptor.
Intencionalidade – fator pragmático -  Redator/produtor/emissor.
Satisfazer os objetivos que tem em mente numa determinada situação comunicativa: informar, impressionar, alarmar, convencer, pedir, ofender, etc.
Aceitabilidade – fator pragmático -  Receptor/recebedor/leitor
(a quem? Para quem?). Conjunto de ocorrências de um texto coerente, capaz de levar o leitor a adquirir conhecimentos ou a cooperar com os objetivos do produtor. A aceitabilidade depende da autenticidade – qualidade, veracidade.
Informatividade – fator pragmático – Quantidade de informação – Suficientes para que seja compreendido com o sentido que o redator pretende. Não é possível nem desejável que o texto explicite todas as informações necessárias; é preciso que deixe inequívocos os dados para o receptor compreender a mensagem. O nível de informação ideal é o mediano, no qual se alternam ocorrências de processamento imediato, que falem do conhecido, mas que trazem informação. Discurso menos previsível – mais informativo ( recepção mais trabalhosa, mais envolvente). Discurso mais previsível – menos informativo 
( tendência a rejeição).
Intertextualidade – fator pragmático – Concerne aos fatores que fazem a utilização de um texto dependente de outro(s) texto(s). Inúmeros textos só fazem sentido quando entendidos  em relação a outros textos que  funcionam como contexto, pois um discurso constrói-se através de um já-dito em relação a outros textos, que funcionam como seu contexto.
Situacionalidade – fator pragmático – Diz respeito aos elementos responsáveis pela pertinência  e RELEVÂNCIA  - importância da informação – do texto quanto ao contexto em que ocorre. É a adequação do texto à situação sociocomunicativa. O contexto pode, realmente, definir o sentido do discurso e, normalmente, orienta tanto a produção quanto a recepção.
Inferências: Ideias não expostas, mas subtendidas. Conexões que o leitor faz (contexto), tentando alcançar uma interpretação do que lê ou ouve, estabelecendo uma relação não explícita no texto.
Focalização: É a maneira como cada leitor vê o  texto.
Ex.: Um médico, um advogado, um engenheiro.... lendo um romance. (cada um terá uma visão).
Conhecimento de mundo: O texto fala sobre o quê?
Conhecimento partilhado: Necessário para a compreensão do  texto - emissor e receptor devem ter um conhecimento de  mundo com certo grau de similaridade, constituindo o conhecimento compartilhado.
Conhecimento linguístico: é o conhecimento da gramática em si e sua aplicação dentro do texto para que possa  ser estabelecida a coerência.
Ex.: Uso de artigos, ordem das palavras, conjunções, tempos verbais....
Contextualização: Informações sobre localização, data e autor  (texto).


EXERCÍCIO

Redija um texto dissertativo-argumentativo evitando vícios de linguagem e usando adequadamente os fatores que garantem a qualidade de um bom texto. Lembre-se também dos aspectos semânticos e morfossintáticos. USE A NORMA CULTA DA LÍNGUA. NÃO ESQUEÇA DE ATRIBUIR UM TÍTULO AO SEU TEXTO.



Nenhum comentário:

Postar um comentário