Google+ Followers

domingo, 20 de maio de 2012

Literatura de Cordel


LITERATURA DE CORDEL

           Denominamos cultura tudo aquilo que contribui para a formação de valores como o folclore de diversas regiões voltado para as festas populares representando o que há de valor entre os povos, as músicas com letras que representam um significado para quem as aprecia e a dança entre muitas outras formas de valorizar as raízes do saber humano. Neste universo cultural encontramos, muitas vezes esquecidos ou pouco reconhecidos, emboladores de coco, repentistas, cirandeiros  etc., que transmitem através do seu trabalho alegria e até mesmo repassam mensagens de forma bem definidas e claras. Repentistas e emboladores criticam, satirizam, elogiam mas não ferem, sabem como conduzir a arte.
              Serão estes os que compõem a literatura de cordel?
            O cordel está centrado na sabedoria popular. Estudiosos têm mostrado interesse nesta área por ela ser uma forma de valorizar o que há de mais importante em meio de uma nação – sua cultura. Como qualquer linguagem a literatura de cordel também obedece a regras e formas de organização. Os versos que compõem cada estrofe devem estar bem estruturados para uma compreensão plena do leitor ou até mesmo para indagá-lo a reflexões sobre situações que ocorrem no dia a dia. O humor é bem presente, dependendo do assunto que está sendo abordado.
               Por ser um assunto pouco discutido no meio acadêmico e pouco abordado nos livros didáticos, a literatura de cordel ainda não assumiu o seu papel como deveria, que é o de levar as pessoas a se reconhecerem enquanto parte de uma cultura que deve ser valorizada e respeitada. É preciso que tenhamos noção da nossa história e da dimensão das diferentes linguagens que permeiam o mundo.
                As escolas literárias abordam fatos ocorridos em cada época da história através das obras que marcaram cada período. A literatura contemporânea destaca na cultura popular Patativa do Assaré cujas obras representam a fala das camadas populares em suas vivências  mas tudo ainda é pouco diante do que representa a literatura de cordel que deveria ocupar um espaço maior dentro do modernismo por exemplo.
                 Pensarmos na literatura de cordel enquanto escola literária seria pensarmos numa forma de valorizar mais a cultura podendo ser esta denominada de Culturalismo Popular.

Por: Manoel Joaquim da Silva
































Nenhum comentário:

Postar um comentário